É difícil explicar o coworking? Pois é, até para os acadêmicos.

Fonte: Anderson Costa – Blog Movebla

Para nós parece que alguns conceitos são extremamente fáceis de entender, especialmente quando nós os vivenciamos. Como o coworking. Nós que praticamos já entendemos o que ele pode ser. Mas será que esse entendimento é uniforme?

Parece que não, segundo pesquisa da Universidade do Texas (a pesquisa completa no nosso Minus). Por 3 anos o professor Clay Spinuzzi imergiu no tema coworking, conversando com espaços nos EUA, coworkers e estudando materiais. Tudo para saber qual a conclusão que as pessoas tiram ao saber sobre coworking. Ele conseguiu um conjunto de respostas contraditórias dos próprios donos de espaços e coworkers.

Alguns espaços definiram-se como centros para a comunidade local. Outros, como espaço de colaboração. Teve também quem definiu-se como hub para networking. Spinuzzi também descobriu que os espaços se vendem muito como “unoffices”, e incentivadores de conexões mais formais do que informais. Até aí coworking pode ser tudo isso mesmo. O interessante é quando a definição vem dos coworkers, usuários dos espaços. Eles estavam longe de ser totalmente de acordo sobre o que eles esperavam do coworking. Alguns esperam trabalhar em paralelo, enquanto outros devem esperam trabalhar em cooperação. Diferentes expectativas.

Spinuzzi conclui a pesquisa dizendo que essas configuraçòes de pensamento diferentes são ricas, mas difíceis do ponto de vista acadêmico.

“Coworking parecia não ser uma única atividade em tudo, e certamente a compreensão dos coworkers se baseou muito em como ele se cruzaram com outras atividades em rede. Essas interligações densas puxaram a compreensão dos coworkers em diferentes direções. O que já causou diferenciações significativas no coworking em Austin, resultando em, pelo menos, duas configurações muito diferentes. E podemos esperar que outras diferenciações enquanto o coworking se torna mais comum. Como um fenômeno altamente colaborativo, interorganizacional e fluido, um análise da teoria dessa atividade parece difícil de aplicar.”

O que vocês acham? Existe uma dificuldade em explicar o coworking? É um conceito complicado por ter tantas vertentes em sua órbita? E isso é bom ou ruim?

[fonte: GigaOM]

Envie suas dúvidas!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s